Diabetes e a Visão

Diabetes e a Visão

Sim, eles não são bons parceiros. A diabetes é uma doença muito comum que, infelizmente, está associada com importantes alterações oculares. O problema reside no fato que os pacientes diabéticos nem sempre conseguem enxergar a gravidade da doença no longo prazo. Obviamente, o controle da glicemia não é uma tarefa fácil, mas é fundamental para evitar futuras complicações oculares.

Sintomas

Um dos sintomas mais comuns nos pacientes recém diagnosticados ou que não tem um bom controle da glicemia é a flutuação da visão.  A variação dos níveis de açúcar no sangue pode influir no grau do óculos, e assim,  alterar a visão ao longo do dia. É um sintoma transitório e, à medida que a glicemia volta ao normal, o paciente percebe a melhora na visão.

Complicações

As complicações mais sérias do diabetes ocorrem depois de anos desde do início da doença. Quanto melhor o controle da glicemia, mais tarde será o estabelecimento da doença ocular. No entanto, a retinopatia diabética é uma complicação grave que pode levar a cegueira. Ela ocorre porque o açúcar elevado de forma crônica no sangue induz falta de oxigênio na retina. A retina é o tecido responsável por transferir a informação visual para o cérebro. Quando falta oxigênio na retina, a resposta do organismo é criar novos vasos sanguíneos para suprir essa falta de oxigênio. O problema é que esses novos vasos são criados em lugares onde não deveriam estar, o que pode vir a prejudicar a visão e, eventualmente, levar a cegueira.

Diagnóstico e Tratamento

Em vista disso, a avaliação anual dos pacientes diabéticos é de grande importância.  Isto possibilitará o diagnóstico precoce e o acompanhamento necessário para cada caso. O tratamento inclui a aplicação de laser, injeções de medicações para prevenir o crescimento desses neovasos e a cirurgia, nos casos de descolamento de retina causado pela retinopatia diabética mais avançada.